Dia do jornalista! Afinal, o que é jornalista?

Publicado: abril 7, 2011 em Resumos das matérias!

Neste post, uma matéria redigida por nosso colega comunicador Danilo Dias;

Talvez os leitores deste blog, com temática voltada à tecnologia e publicidade, estranhem este post do dia 7 de abril. Falar de jornalismo, no dia do jornalista, pode não ser tão fácil quanto parece. Quando recebi os cumprimentos do meu amigo Alan, além do convite para escrever um texto para postar hoje, pensei: “será mesmo que só os jornalistas merecem felicitações???Mas quem de fato é jornalista?

Recentemente muita gente discutiu a derrubada da Lei da Imprensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a mais alta corte do país. Era nesta referida legislação, aprovada pelo regime militar brasileiro, que a obrigatoriedade do diploma de jornalismo era vigente. Mas, sem entrar em outros méritos, essas e outras premissas visavam o controle da informação pela ditadura que o Brasil vivia, ou seja, precisavam ser derrubadas. Propostas de emenda à Constituição se arrastam pelas duas casas legislativas brasileiras, exigindo o porte de um diploma para exercer a profissão da informação.

Mas, na era da informação digitalizada, seriam apenas as pessoas que passam quatro anos na universidade as capacitadas para divulgar notícias?

Como este blog fala de tecnologia, é importante lembrar que os aparatos tecnológicos disponíveis nos dias de hoje tornam qualquer cidadão na face da Terra um repórter. O tal do jornalismo colaborativo já é realidade nos mais tradicionais meios de comunicação, do singelo jornal de papel, passando pelas mídias eletrônicas clássicas (rádio e TV) e, especialmente, na internet. É ela que permite que imagens chocantes das crises no mundo árabe viajem o mundo todo em questão de segundos.

E o que dizer do menino do Rio de Janeiro que narrava, via Twitter, as novidades quentíssimas da invasão da Polícia Militar aos morros cariocas nas recentes investidas de pacificação de favelas? Seria ele menos jornalista que o repórter da TV Globo, que contou sua versão da história sem ao menos conhecer toda a humilde realidade e sofrimento da população da periferia do Rio?

A notícia ocorre em todo lugar e, diante da sanha globalizante das agências internacionais de notícias, o regional tem um espaço valioso, graças aos “repórteres-cidadãos” espalhados por todos os cantos, que informam sobre as condições de trânsito em determinadas rodovias, que alertam sobre vias urbanas  interditadas devido a acidentes ou chuvas…

As antigas ferramentas de trabalho de um jornalista clássico (gravador, câmera fotográfica, bloco de notas, máquina de escrever) hoje foram substituídas por celulares, smartphones, tablets, netbooks, computadores, que estão nas mãos, nos bolsos e bolsas de todos!

O papel dos jornalistas, aqueles que ficam quatro anos na faculdade e são contratados pelos veículos de comunicação tradicionais, neste contexto, também deve ser repensado. O diploma, assim como em países que formataram o jornalismo ocidental (Estados Unidos e França) também não é uma obrigação exigida por lei. Cabe às universidades formarem profissionais com senso crítico, que tenham a capacidade de filtrar tanta informação, e desinformação também, embaralhadas nas teias de fibras óticas e ondas eletromagnéticas que circulam pelo globo terrestre. São esses mesmos profissionais que devem ter a noção de que reproduzir conceitos moldados pelos poderosos conglomerados da informação vai apenas acentuar a realidade socioeconômica vigente. Repórter todo mundo é, todo mundo pode publicar e veicular informação. Só que a abordagem e o caráter de tais informações podem ser manipulados pelos meios. Vai da consciência do jornalista, o viés manipulador que ele vai adotar, ou seja, vai reproduzir os modelos e padrões internacionais ou vai buscar a verdadeira realidade e retratá-la em prol de uma sociedade mais justa? Questionamentos da contemporaneidade…

 

Danilo Dias Gatto, estudante do último ano de Comunicação Social (Jornalismo) – Unesp/Bauru.

 

Anúncios
comentários
  1. Ennio Ruiz disse:

    “embaralhadas nas teias de fibras óticas e ondas eletromagnéticas que circulam pelo globo terrestre”
    Curti isso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s